_______________________________________________________

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019









ATENÇÃO DESPERTA








“O egoísmo cresce em força somente quando sua atenção é focalizada no corpo e em suas necessidades. Quando, em vez disso, você dirige sua atenção ao ser interior, que é Deus, você percebe o mesmo Deus presente em todos e um fluxo de reverência o preenche e santifica cada ato seu [...] Venho dizendo em mensagens anteriores que cada um escolhe onde colocar a sua atenção. Só vê a escuridão aqueles que estão focados no drama, na dor e na injustiça. Aquele que não consegue ver o avanço espiritual da humanidade, não tem colocado a sua atenção nesse aspecto. Porém se liberar sua mente do negativo, abrirá um espaço onde sua essência divina pode manifestar-se, e isto certamente trará o foco para o que ocorre de fato neste momento com o planeta e a humanidade. Estamos elevando a nossa consciência como jamais o fizemos. (Sathya Sai Baba)











“De grande mistério são os meios como um Conselho Cósmico se faz consciente para uma mente divina desperta. Através de sinais que se manifestam desde os níveis mais densos da matéria terrestre até os mais sutis das energias celestes, os Conselhos Cósmicos vão refinando as consciências de seus contatados estimulando a prática da ‘Atenção Plena’ como base fundamental para se fazerem percebidos. Usufruem de todos os elementos existenciais disponíveis na experiência do planeta, em qualquer Reino e em qualquer situação acima da dualidade. Desta forma, cores, animais, números, nomes, formas geométricas, movimentos, astros, etc... tudo realmente pode ser usufruído de uma forma atemporal e surpreendentemente mágica para uma mensagem que estes conselhos necessitem nos enviar. É através do desenvolvimento da atenção que as sinapses cerebrais vão se fortalecendo eletricamente e se iluminando. A atenção fortalece o desenvolvimento de todos os sentidos (olfato, gustação, visão, audição, tato, etc.) que devem ser aperfeiçoados para a consciência do corpo holístico humano. Somente com os sentidos externos bem desenvolvidos e apurados que um ser humano pode perceber a existência das dimensões mais sutis, através do despertar dos sentidos internos que os conecta com as suas realidades paralelas. Esta interconexão de sentidos, externos e internos, une a vida dos céus com a Terra através da atenção plena. Os Conselhos Cósmicos agem sempre no propósito de direcionar e ajustar a ‘Senda Espiritual’ mais adequada para o seu contatado, orientando-o de acordo com o seu acervo de experiências pretéritas e futuras, pois agem além dos espaços-tempos usuais para a Terra. E para cumprir este propósito, a presença de um Conselho Cósmico na vida de um ser humano pode ser reconhecida através do simples desenvolvimento de uma planta, num diálogo atento entre os homens, na manifestação de um evento sincrônico com os animais, numa mensagem simbólica de um número, enfim, por qualquer movimento que a vida possa oferecer em seu palco teatral das brincadeiras da Fonte.”   (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, págs 168 e 169, Horácio Netho, Ed. Alfabeto,2012)
 








“É bom que a gente saiba que a pessoa desatenta, aquele que não consegue ficar atento, aquele que é pouco observador do que se passa em si, ele não consegue conscientemente acompanhar o desenvolvimento da alma. A cada dia que se passa, está nos sendo exigido mais atenção, porque uma desatenção, uma distração numa época normal pode significar relativamente pouco. Mas uma distração por menor que seja, numa época como esta onde coisas estão acontecendo velozmente, pode determinar muitas coisas que nós realmente não estamos conscientizando. De forma que a atenção é algo realmente para ser trabalhado.”     (Trigueirinho)











“De acordo com a psicologia budista, a atenção tem a característica de universalidade, o que significa que estamos sempre dando atenção a algo. Nossa atenção pode ser ‘adequada’, ou seja, estamos inteiramente no momento presente ou pode ser ‘inadequada’, o que ocorre quando estamos atentos a lago que nos afasta do aqui e agora [...] A atenção plena correta tudo aceita, sem julgar nem reagir. É inclusiva e amorosa. Sua prática consiste em buscar formas para conseguir manter a atenção adequada durante todo o dia [...] Se nossa atenção plena for capaz de acolher com carinho a alegria, a tristeza, e todas as nossas formações mentais, acabaremos enxergando, mais cedo ou mais tarde, suas raízes profundas. Cada passo e cada respiração realizados conscientes nos ajudam a enxergar as raízes das formações mentais. A atenção plena verte sua luz sobre as formações e nos ajuda a transformá-las [...] A atenção plena quer dizer atenção ao corpo, às sensações, às percepções, às formações mentais e a todas as sementes que existem na consciência. Os quatro estabelecimentos da atenção plena contêm tudo o que existe no universo. O universo inteiro é objeto de nossa percepção, e como tal não existe apenas fora de nós, mas também dentro de nós [...] A atenção plena é a energia que coloca os olhos de Buda em nossas mãos. Com atenção plena, podemos mudar o mundo e trazer felicidade para muitos. Isto não é uma ideia abstrata. É possível a cada um de nós gerar a energia da atenção plena em todos os momentos da vida cotidiana.”  (Do livro “A Essência dos Ensinamentos de Buda”,  Thich Nhat Hanh, Ed. Rocco, 2001)



 






“Sê consciente de todos os teus atos, de todos seus sonhos e pensamentos. O caminho espiritual exige uma atenção aguda, total. É um jogo de destreza que exige que fiquemos despertos no mais fundo de nós mesmos." (Wagner Frota – www.xamanismo.com)









“É da natureza da mente humana comum tagarelar, desviar constantemente o foco de sua atenção e estabelecer condicionamentos. É de sua natureza, também, a tendência a assumir a liderança do ego e o controle sobre as verdades com as quais se identifica. Da mesma forma, uma mente comum tende a penetrar invasivamente e sem humildade os espaços externos e ambientes nos quais o ser se encontra, agredindo por vezes sutilmente estes lugares. É necessário a meditação para que se consiga desenvolver uma maior retidão mental e um comportamento mais equilibrado e amoroso da mente [...] Aquele que intenciona evoluir e servir a vida deve manter a sua mente alerta à proliferação dos valores inversos às virtudes. É comum estar ludibriado com os valores do atraso sem se perceber. A atenção deve ser redobrada nestes dias tão enganosos para a humanidade da Terra [...] São os votos silenciosos e ocultos que o homem faz consigo e para com a vida que o encaminham para o seu propósito. O homem precisa estar atento às suas intenções últimas, em todas as suas condutas perante a existência. Deus ouve todas as falas e todos os pensamentos de seus filhos. Não há uma intenção sequer que se passe desapercebida pela consciência de Deus [...] Ao decidir seguir um mestre espiritual, o discípulo deve ter três comportamentos. Primeiro: prestar bastante atenção no que é repassado pelo mestre através de suas palavras e ações. Segundo: adaptar os ensinamentos, modificando-os para o seu contexto e a sua realidade. Terceiro: buscar transcender o próprio mestre, indo além de onde ele se encontra [...] Independente da nossa participação coletiva em qualquer aglomerado grupal, é sábio estarmos atentos às nossas expressões individuais. Devemos reservar momentos de contatos íntimos com a nossa voz interna, a qual será sempre a nossa guia mestra do propósito maior [...] Dimensões superiores só podem se tornar acessíveis, quando o ser humano consegue focar a sua atenção essencialmente no tempo presente. Qualquer crença consciente que desloque a atenção para o passado ou para o futuro impede que a consciência penetre a sutilidade da quinta dimensão acima. Desta forma, para se transcender passado e futuro, o ser humano deve estar o máximo atento da sua presença no agora. É nesta consciência do espaço-tempo do agora que verdades se expõem, as dimensões superiores se sustentam e possibilitam a transição pelos portais da atemporalidade [...] O chamado ainda ecoa nos quatro cantos da Terra, indiferentemente, a todos os seres humanos. Somente os que estão atentos conseguem percebê-lo. Os surdos também são cegos e insensíveis aos apelos de Deus [...] Decidiu saber quem o é? Resolveu-se pelo autoconhecimento? Prepare-se para o inusitado. Desfaça-se de qualquer imagem ou noção que tenha a respeito de si próprio. Não gere expectativas e entregue-se ao seu Deus. Fique atento com fé e humildade. Aguarde, que o seu Deus providenciará [...] Em qualquer situação, o outro é sempre um enviado de DEUS, para o sábio. O sábio está atento aos espelhos e aos reflexos internos e externos que se dispõem em toda relação horizontal entre os homens. Investiga e busca o quê DEUS quer, ali naquele momento e através daquele ser [...] Aquele que não sabe quais os propósitos de Jesus, Yogananda, Gautama, Babaji, São Francisco, Trigueirinho, Krishna ou Sathya Sai Baba para a vida humana é o mesmo que nunca investigou qual a verdadeira função de uma cadeira ou de uma mesa em sua casa. É um desatento, um desavisado, um cego. Não possui sentidos para a vida maior e permanece ignorante diante do que primordialmente importa [...] Gautama instruía a humanidade sobre a atenção plena no pensamento correto, na fala correta e na ação correta. Jesus instruía sobre o ‘orai e vigiai’. Ambos estimulavam a humanidade rumo ao autoaperfeiçoamento [...] A projeção da mente ao futuro deve ser acolhida de forma amorosa, quando desprovida de desejos. É da natureza mental o deslocamento da sua consciência pelas vias aferentes do tempo-espaço. Porém, é preciso estar atento como esta condução está se manifestando, quais os impulsos e as intenções criativas que preparam a geração de respostas futuras [...] A mente humana considera que o ser está sempre indo a algum lugar em um ponto futuro, uma verdade para ela. Porém, esta é uma ilusão espaço-temporal da sua parte concreta. Em verdade, o ser humano sempre está em algum lugar no eterno agora, numa dimensão mais elevada da consciência. É esta a consciência superior sutil abstrata que corrige a ilusão concreta. A prática da atenção plena impulsiona a elevação da consciência à inclusão e incorporação do momentum do eterno presente desta dimensão superior. Um sábio se estrutura a partir daí [...] Para aquele que se uniu à vida em coração, a própria vida arranja diversas formas de demonstrar o seu apoio e a sua unidade. Por vezes, são formas inusitadas. São conjunturas, coincidências, mensagens interpessoais, simbolismos, experiências místicas, sonhos, etc. O ser atento sempre capta a essência destes eventos em gratidão [...] Para quem anda atento e em silêncio interno, a natureza tem sempre um presente a oferecer.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)










"Coma sabiamente – muitas comidas estão corruptas de formas sutis ou grosseiras. Dê atenção ao que você coloca dentro do seu corpo. Aprenda a preservar comida, e a conservar energia. Aprenda boas técnicas de respiração."  (Carlos Barrios, ancião Maia e Ajq'ij do clã da Águia)







“Atentai sobre vós mesmos, para que os vossos corações não se tornem pesados com o excesso do comer, com a embriaguez e com as preocupações da vida; para que aquele dia não vos apanhe de surpresa.”  (LU, 21:34)








A etimologia da palavra ‘INTELIGÊNCIA’ é composta por dois termos: intus = dentro e légere = escolher, recolher, ler. Desta forma, a verdadeira inteligência se desenvolve junto com a intuição, quando o homem aprende a ler a vida com a sua interpretação interna, virtude tão importante nos dias atuais em que a dinâmica excitante da vida externa nem sempre está oportunizando uma parada necessária para reflexões transcendentais. Uma alma humana terrestre madura está com o foco da sua consciência na leitura da vida interna, constantemente e em atenção plena, pois assim a sua inteligência sobre os eventos externos que estão acontecendo na Terra estará lhe direcionando o seu melhor destino [...] Quando você não estiver mais ouvindo as pessoas, mas estiver ouvindo Deus através das pessoas, então você terá compreendido a impessoalidade que a visão espiritual desperta requer à sua consciência."  (Horácio Netho










sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Percebendo a Fonte - "A MEDITAÇÃO"















COMO a MEDITAÇÃO MUDA o CÉREBRO
(PODER do EU SUPERIOR)







MEDITAÇÃO e o CÉREBRO
(PEDRO CALABREZ)










“Todos aqueles que, através da observação contínua de si mesmos e através da meditação, experienciam um relacionamento autêntico com Deus, podem se tornar as estrelas brilhantes que iluminam o mundo. Se todos seguirmos juntos assim, poderemos criar o céu aqui na Terra.”   (Dadi Janki - Diretora Mundial da Brahma Kumaris)












“Tal como uma casa, cujo telhado é imperfeito, penetra a chuva; assim, também, num espírito onde não reside a me­ditação, penetra a paixão.”  (Siddartha Gautama)













MEDITAÇÃO







“Temos na atmosfera, ao nosso redor, a música emanando de todas as emissoras do mundo, mas elas não agridem seus ouvidos em todos os momentos. Somente se tiver um receptor e sintonizar o comprimento de onda correto, você ouvirá a transmissão de uma estação particular; se não conseguir sintonizar corretamente, você receberá, em vez de notícias, somente aborrecimento! Assim também, o Divino está em toda parte - acima, ao redor, abaixo, ao lado, perto e também distante. Para o ‘perceber’, não é necessário uma máquina, mas uma fórmula mística (mantra). A meditação é a localização exata da estação na faixa de emissão; o amor é a correta sintonização, e perceber a realidade e a bem-aventurança que ele confere é o feliz escutar sem ruídos! Seja qual for a tarefa em que se esteja engajado, fazê-la com concentração desenvolverá tanto autoconfiança como autorrespeito, pois eles são o resultado da atitude da mente. A mente pode se apoiar tanto no mal como no bem e a atenção concentrada deve ser empregada para manter a mente ligada apenas aos bons chamados. O sucesso ou fracasso da boa tarefa depende da unidirecionalidade. Unidirecionalidade aumentará nossa força e habilidade. Mas, ela não pode ser obtida sem dominar os desejos mundanos que distraem a mente. Essa unidirecionalidade, essa conquista da mente, é adquirida através do exercício da meditação. A mente planeja e executa inumeráveis ações e percorre as mais vastas extensões, tudo em um piscar de olhos! Ela opera com velocidade inimaginável. No entanto, enquanto se medita, não se deve permitir à mente vaguear para longe do objeto de meditação. Sempre que ela voar em uma tangente, ela deverá ser conduzida de volta para a forma da meditação. Apenas uma forma deve ser meditada no início; não altere o objeto de foco todos os dias. Para se concentrar de forma eficaz, você deve ter cuidado para não ter como foco algo que sua mente não goste ou que cause dor ou abale sua fé, pois por mais que você possa tentar, sua mente não ficará fixa sobre eles. Com o tempo, mesmo que pensamentos desagradáveis venham, aprenda gradualmente a acolhê-los como benéficos e busque compreender o seu bem [...] Pode uma pessoa ensinar meditação a outra? É possível ensinar a postura, a posição das pernas, pés ou mãos, a forma e o ritmo de se respirar. Meditação é uma atividade do mais íntimo do ser humano, ela envolve uma profunda quietude subjetiva. O esvaziamento da mente e o encher-se com a luz que emerge da Divina chama interior. É uma disciplina que não se ensina em livros. Como começar? Se você alguma vez contemplou com deslumbramento uma noite estrelado ou se maravilhou com o milagre de uma flor silvestre, você já começou a meditar.  (Sathya Sai Baba)







MEDITAÇÃO e CORAÇÃO
(MENSAGEM de ESPERANÇA)











“Uma das bases primordiais que sustenta a prática da meditação é a fé. É saber que se vai penetrar em verdades inconcebíveis e em mundos desconhecidos que permeiam a existência e a inexistência do ser [...] Para se combater o inimigo é sábio conhecer a sua força, os seus recursos, as suas estratégias e os seus objetivos. Desta forma, o ser humano deve buscar conhecer o seu ego dual e combatê-lo, internamente, até a rendição total. O ego é o principal inimigo do homem enquanto percebido, reconhecido e vivenciado pelo próprio ego. Iluminado e reconhecido pela alma, o ego passa a ser um aliado que serve de base inferior para a sua expressão. Ou seja, em determinado nível o ego é um veículo essencial nos níveis inferiores para a expressão dos propósitos advindos dos níveis supra-humanos. É através do seu ego que um mestre espiritual se torna visível à humanidade comum e assim pode cumprir a sua missão de auxílio na matéria terrestre. A meditação é a ferramenta de investigação primordial para se conhecer os limites essenciais do ego [...] Ao contrário do que muitos pensam, a indiferença é um comportamento elevado que parte do não julgamento. É base essencial para o estabelecimento do desapego e da neutralidade. Há técnicas avançadas de meditação que proporcionam a incorporação da consciência da indiferença no ser humano. A indiferença propicia um distanciamento mental e emocional saudável dos eventos externos da vida, abrindo espaço e sustentação para a ação instantânea da intuição. Destitui os desejos e a zona de sofrimento da consciência humana comum, estabelecendo um vetor de contato ascensional [...] Redimensionar os frutos de uma meditação profunda é tarefa que não se deve fazer. É involuir. Não há meios disponíveis eficazes que possam transcodificar fidedignamente a experiência vivenciada nas dimensões superiores [...] A prática da meditação não intenciona fazer do ser humano um ser bonzinho, calmo e incapaz de fazer mal a alguém... um manso. Ilusão. A meditação tende a tornar o ser mais coerente, mais conectado com a sua essência e mais fidedigno às suas respostas para com a vida. Ser bonzinho, fazer o bem ou o mal está abaixo de onde a meditação alcança. A consciência que se busca através da meditação é transcendente para a dualidade bem e mal. É vivência que se destina à neutralidade e ao esvaziamento dos julgamentos mentais e das respostas emocionais. Busca conectar o autopoder todo centrado, que às vezes constrói e outras vezes destrói [...] Se faz necessária uma meditação profunda sobre a relação da consciência humana com o espaço-tempo externo. Desta forma, pode-se observar as escapadas que a mente tende a dar, constantemente, do momentum interno do eterno agora. Este momentum traz a unificação de todos os tempos ilusórios externos através de uma iniciação que permite usufruí-los, a partir da quinta dimensão, sempre com a consciência atenta e desperta no eixo central do agora [...] Todos os elementos externos da existência, quando observados profundamente em estado meditativo, se dispersam no vazio. Os budistas já pregam esta realidade, há séculos, denominando-a de sunyata. A ciência da física quântica contemporânea já acolhe e confirma esta verdade. É que, através dos altos níveis de pureza e meditação, o homem é iniciado com os mistérios da natureza atômica. Ou seja, a consciência humana desperta dos grandes iniciados está muito à frente do que a atual ciência ainda precise investigar e confirmar.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)





MEDITAÇÃO em ESCOLA PÚBLICAS
(LINK: http://mentevivars.wix.com/formulario)









MEDITAÇÃO no COLÉGIO
(TESTEMUNHOS de PROJETO)







“A verdadeira cosmo meditação é uma sintonização cósmica, uma afinação do receptor humano com o emissor Divino.”   (Huberto Rhoden)












RELAÇÃO entre ORAÇÃO e MEDITAÇÃO
(TRIGUEIRINHO)





“Há tantos modos de falar de meditação e eu devo tê-la ensinado milhares de vezes, mas a cada vez é diferente e, a cada vez, espontâneo e novo. Felizmente, vivemos numa época em que muitas pessoas estão se familiarizando com a meditação, por todas as partes do mundo. Ela vem se tornando, de modo crescente, aceita como uma prática capaz de ultrapassar e pairar acima das barreiras culturais e religiosas, permitindo que seus seguidores estabeleçam um contato direto com a verdade de seu ser. Treinar a mente não significa, de modo algum, usar de força para subjugar ou para realizar uma lavagem cerebral. Antes de tudo, treiná-la é aprender, diretamente e de forma concreta, o seu modo de funcionar, um conhecimento extraído dos ensinamentos espirituais e da experiência pessoal na prática da meditação... tome cuidado em não impor nada à sua mente, ou programá-la. Ao meditar, não deve haver nenhum esforço para controlar, nem qualquer tentativa de alcançar a paz. Não fique ostensivamente solene, ou se sinta como se estivesse tomando parte em algum ritual especial, abandone até mesmo a idéia de que se encontra em meditação. Deixe seu corpo permanecer como ele é, e a respiração como ela vier.”   (Sogyal Rinpoche)













“O reino da quietude que os sábios conquistaram pela meditação é também conquistado pelos que praticam ações; sábio é aquele que compreende estas duas coisas – a intuição mística e a ação prática – são uma só em sua essência.”   Krishna  (Baghavad Gita, cap. 5)




APRENDENDO a MEDITAR
(TRIGUEIRINHO)













“Em sânscrito, a palavra 'SGOM' (algo como familiarizar-se) é usada, no Tibete, para designar o que conhecemos como meditação, na cultura ocidental. A vida superior é paradoxal, ou seja, corre em paralelo à mente e não a toca. A meditação é o meio de transcender a experiência da mente e perceber a vida superior, na sua própria dimensão. A meditação é uma prática somente indicada para aqueles que já possuem certo grau de con­centração mental e buscam aperfeiçoar a compreensão das relações men­tais com os elementos da vida. Antes de se acessar o estado meditativo (que é incidental), a mente humana necessita desenvolver uma estabilidade de concentração, que suporte esta experiência superior sobremental. Não é o ego humano que busca a prática da meditação. É a cons­ciência da sua alma que, quando se apronta para despertar, projeta uma luz atrativa na direção da sua consciência inferior. A consciência da alma se faz perceber através de uma voz interna e silenciosa, que usufrui das vias intuitivas para se comunicar. Sabendo disto, o ser humano inician­te na meditação deve apenas concentrar a sua mente e entregar-se, em silêncio desinteressado, ao comando de sua própria alma [...] O planeta Terra está passando por uma transformação em sua grade de energias. A incorporação da quinta dimensão na consciência dos elementais da Terra impulsionará a humanidade a uma frequência vibracional correspondente aos estados meditativos, relativos às expe­riências dos corpos de luz humanos. Desta forma, as técnicas milenares tradicionais de meditação estão se tornando ultrapassadas, pela pró­pria facilitação da elevação da consciência planetária.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”,págs 162 e 165, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)














MEDITAÇÃO c\ 1 MILHÃO de CRIANÇAS
(DOCUMENTÁRIO BBC)











“... a criatividade nos escapa tão facilmente. Para que ela brote, precisamos sair do âmbito do fazer para o do ser, relaxando e voltando a atenção para o mundo interior. A meditação, por exemplo, desacelera a mente submetida ao fazer – se permitirmos, a mente acabará pulando de uma tarefa para outra, sem parar. A desaceleração da mente é a chave para a criatividade. Esse é um aspecto fundamental de várias tradições espirituais. A espiritualidade envolve criatividade e a criatividade demanda uma mente serena.”  (Amit Goswami – Ph.D. em Física Quântica)







COMO a MEDITAÇÃO ATUA no CÉREBRO
(ROBERTO SIMÕES)











“Um ser humano pode perdurar por longos períodos praticando várias técnicas de meditação e vivenciar uma reduzida carga de experiências conscienciais. Contudo, um outro ser humano pode penetrar acentuadamente os níveis mais sutis da consciência em pouco tempo de prática meditativa. Cada ser conduz, normalmente, um nível diferenciado de propósito diante o seu status evolutivo. Daí, a verdadeira meditação deve respeitar a individualidade de cada ser, deve se encaminhar como uma prática livre sem desejos ou metas totalmente definidas. Desta forma, cada ser estará apto para acessar mais adequadamente o que lhe for correspondente segundo a regência da sua própria consciência superior [...] A meditação é uma prática superior que independe de qualquer doutrina religiosa. É uma prática livre, pessoal, direta e sintética, autocentrada na busca da consciência holística. Segue a individualidade da cada ser e é vivência de autoconhecimento [...] É da natureza da mente humana comum tagarelar, desviar constantemente o foco de sua atenção e estabelecer condicionamentos. É de sua natureza, também, a tendência a assumir a liderança do ego e o controle sobre as verdades com as quais se identifica. Da mesma forma, uma mente comum tende a penetrar invasivamente e sem humildade os espaços externos e ambientais nos quais o ser se encontra, agredindo por vezes sutilmente estes lugares. É necessário um estado de consciência meditativa para que se consiga desenvolver uma maior retidão mental e um comportamento mais disciplinado, equilibrado e amoroso da mente [...] Muitos seres humanos falam sobre o ego a partir da sua própria consciência e percepção egóica. Nunca vivenciaram a sua natureza superior por meio da meditação. Desta forma, não conseguem discriminar nitidamente a sua essência, pois relatam a partir das experiências, informações e definições dos outros. Em verdade, são ignorantes que especulam sem conhecimento de causa, ficando na própria superficialidade inerente do ego, em retroalimentação da ilusão de suas mentes [...] A partir da sua dimensão de linguagem, as palavras tentarão expor uma apresentação, uma imagem ou uma idéia sobre as realidades divinas. Mesmo usufruindo das combinações mais harmônicas e perfeitas entre as palavras, em qualquer idioma, o plano divino ainda será distorcido. A consciência humana só compreenderá a divindade por via direta e esta via é acessada por meio do silêncio, da concentração, da pureza, do estado meditativo e contemplativo [...] Caso o ser ainda não tenha um bom nível de meditação, ele vai estar sempre diante o plano das máscaras, das personalidades e dos egos. Nunca poderá se aproximar verdadeiramente da essência de um outro ser. Ficará limitado ao plano das ilusões, da superficialidade aparente e se perderá facilmente com a sua ignorância diante os seus julgamentos infundados. Desta forma, perderá muitas oportunidades de se elevar por não ser capaz de perceber a luz maior de outros seres e se beneficiar dela [...] O místico contemplativo não conduz técnicas meditativas, está além delas. Ele traz o veio da luz superior acessível em sua consciência e a toca quando quer [...] O ego só é melhor compreendido através de um certo distanciamento. A meditação é a prática vivencial adequada para promover o distanciamento e a observação da consciência humana sobre si própria. Por este meio, a consciência humana superior ao ego poderá revelar-lhe a sua essência [...] Não é a mente que cria a realidade ou a ilusão, ela simplesmente confirma ou nega estes aspectos. A natureza da ilusão e da realidade estão acima da capacidade mental. Somente em meditação e silêncio interno profundo pode-se perceber a essência do propósito da mente [...] Com a meditação analítica e investigativa, o ser pode perceber como se manifestam e quais espaços ocupam as suas dimensões física, emocional e mental [...] É da natureza da mente querer estar sempre no controle da vida. Porta-se como um controlador tirano, ditando o que deve e o que não deve, o que é e o que não é. Meditar é desapossar este ditador (mente) e entregar o cargo a Deus, humildemente em silêncio para que um novo reinado surja.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)























“A meditação sobre a natureza da interdependência (paratantra) pode transformar a ilu­são em iluminação. Treinando diariamente a observação profunda, fazendo uso da plena consciência para verter luz sobre a natureza interdependente das coisas, nos libertaremos da tendência de concebê-las como permanentes e como tendo um eu separado.”  (Do livro “Transformações na Consciência”, autor: Thich Nhat Hanh, Ed. Pensamento, 2002, pág. 209)

















A NATUREZA MENTAL






“No mundo mental - pensar é agir.”












“A mente avança até onde pode chegar, mas depois passa a uma dimensão superior, sem saber como lá chegou. Todas as grandes descobertas realizaram este salto [...] A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao tamanho original.”   (Einstein)


                                                                                                                                                                                                                                                                                         






“A mente humana possui vários estratos de consciências que cap­tam e decodificam as várias relações vivenciadas pelo ser em cada nível de expressão da vida. A mente concreta rege a experiência do ego e se identifica com os aspectos materiais mais densos da existência sobre a Terra. É uma mente lenta, pouco flexível, resistente, limitada em si, com baixo po­tencial criativo, dual, vivencia a ilusão e o sofrimento. É responsável por sentidos de julgamentos, análises e criação de sentimentos como apego, medo, ciúme, raiva, inveja, etc. Retêm elementos de natureza animal, resquícios da evolução coletiva desta raça humana planetária. Analítica, possessiva, linear e racional. É a mente onde os sistemas de crenças ficam depositados e a superficialidade da vida é experimenta­da. Reflete uma aura fricativa tamásica [...] A mente humana mais primitiva (concreta), como um componente evolutivo ancestral do reino animal, conduz o ser humano a permanecer em atividades básicas sociais características da sobrevivência animal (ali­mentar-se, reproduzir-se e proteger a família). Quando a mente da alma inicia o seu despertar, estas atividades da mente animal humana vão perdendo as suas importâncias. O ser humano passa, então e somente a partir daí, a observar e a buscar temas de autoconhecimento transcendentais para a sua vida existencial. A mente abstrata do ser humano, após vivenciar uma série de purificações e harmonizações para com a mente concreta, pode trans­cender realidades materiais e sentimentos desarmônicos densos não mais se associando a estas experiências. Desta forma, alimentos físicos podem desinteressar a consciência do ser, assim como sentimentos de raiva, inveja, apego, ciúme, desejo, etc. Emitindo uma vibração cerebral mais sutil, a mente abstrata se identifica com nutrientes mais sutis, se­jam de ordem física ou emocional.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, págs 158 e 159, HorácioNetho, Ed. Alfabeto, 2011)          
               
                                                                                               


                                                                                                                        




“A manifestação interdependente – manifestação de todos os fenômenos – deverá ser vista como o resultado de ambas as mentes, iludida e verdadeira.”   (Thich Nhat Hanh)
















“A primeira prática espiritual que se deve adotar é o cultivo do silêncio interior, para acabar com o diálogo ininterrupto com a mente. Deixe a mente descansar durante algum tempo. Não projete nela detalhes irrelevantes, ou a polua com emanações de inveja e avareza. Cada ideia que acolhemos, tanto boa quanto ruim, fica impressa na mente. Um elemento de fraqueza e inconstância é, assim, introduzido na mente. Mantenha a mente calma e limpa. Não a agite, todo momento, por meio de seu diálogo incessante. Aquele que subjugou a mente será o mesmo em bons e maus momentos. Tristeza e alegria são apenas alterações da mente. É somente quando a mente está associada aos sentidos e ao corpo que ela é afetada. Os impulsos e os desejos devem ser sublimados para que se possa atingir o domínio sobre a mente. O desejo excita a mente e a faz precipitar-se em direção aos sentidos. Não basta dominar apenas um sentido, todos devem ser completamente dominados. Hoje em dia, toda disciplina espiritual está sendo feita pela mente. Enquanto a mente controlar os exercícios espirituais, a meta da autorrealização não pode ser atingida. A mente é como um ladrão que não se permitirá ser capturado. É a mente que condiciona o corpo. A mente é um instrumento pelo qual alguém pode se arruinar ou se libertar. A mente deve se tornar a serva do intelecto, e não a escrava dos sentidos. De nada serve contar com a mente para compreender a sua verdadeira natureza. Quando a visão está centrada em sua verdadeira natureza, a mente desaparece por si mesma. O intelecto revela-se em conversas e controvérsias; uma vez que você cede à tentação da dialética (arte do diálogo ou da discussão), leva um longo tempo para escapar de suas algemas, e a eliminar, e desfrutar a bem-aventurança que vem da sua anulação. Vocês todos devem estar cientes da limitação da razão. A lógica e a dedução devem ceder seu lugar à devoção. O intelecto pode ajudá-los somente por algum tempo, ao longo do caminho para Deus; o descanso é iluminado pela intuição. Portanto, abandone a ideia de o mundo ser real; reconheça a realidade do Ser Interior e alcance a Fonte: Deus. Como um aspirante espiritual (Sadhaka), primeiro você deve aprender o segredo da ‘visão interior’ e retirar sua atenção do exterior. Você já deve ter ouvido falar um pouco sobre o mundo interior, mas a vida divina não é nada mais que esse método de vida interior. É vantajoso ao homem, para seu benefício supremo, conhecer as características da mente e os meios para dominá-la [...] A experiência do mundo é apenas uma projeção da nossa mente e o reflexo de nossos próprios pensamentos internos. Como é o pensamento, assim é a visão.    (Sathya Sai Baba)















“Uma iogue indiana, Dadi Janki, foi considerada pelo Instituto de Pesquisa Médica e Cientifica da Universidade do Texas, como a ‘mente mais estável do mundo’, porque mesmo testada em situações tensas e perigosas, seu eletroencefalograma marcou a presença constante de ondas delta, as ondas mais positivas e lentas produzidas pela atividade cerebral. Ela recebeu da ONU o título, muito raro de ser concedido, de Guardiã do Planeta, por seu trabalho em prol de mentes mais livres e pacíficas. Quando lhe perguntaram, em sua visita a São Paulo, a receita de uma mente tão tranquila e sem pesos, ela respondeu: ‘-Muito amor no coração por todos e nenhum apego por ninguém, tentar não prejudicar pessoa alguma minimamente e eliminar da mente qualquer pensamento negativo, fazendo um exercício diário e ter a certeza de que não estamos aqui à-toa, mas para cumprir o destino da evolução. Que somos caminhantes, sem dependências ou estabilidades. Quem não percebe isso se torna escravo do desnecessário e polui a mente.’ Em 1978, Dadi Janki foi submetida a um teste na Universidade do Texas, nos Estados Unidos, quando então se tornou conhecida como ‘a mente mais estável do mundo’ (suas ondas cerebrais não se alteram mesmo em situações extremas). ‘A maravilha é que, mesmo não entendendo inglês, consegui dar as respostas certas’, diz. Hoje, aos 86 anos, 60 deles dedicados ao estudo espiritual e à prática da meditação, Dadi é só tranquilidade e paz. Co-diretora mundial da Brahma Kumaris - universidade espiritual com sede na Índia e mais de 5 mil centros pelo mundo -, integrante do grupo Guardiões da Sabedoria e criadora da Fundação Janki de Pesquisas para Saúde Global, em Londres, ela nos recebeu vestindo branco por dentro e por fora, sem solenidades, sem as vaidades comuns à maioria das mulheres. Seu discurso encanta pela pureza e ensina que as mudanças possíveis ao mundo começam no coração de cada pessoa. Finaliza: ‘-Todos aqueles que, através da observação contínua de si mesmos e através da meditação, experienciam um relacionamento autêntico com Deus, podem se tornar as estrelas brilhantes que iluminam o mundo. Eu acredito que se todos seguirmos juntos assim, poderemos criar o céu aqui na Terra. Mas, primeiro, teremos de criar o céu em nossas mentes. Porque tudo o que acontece neste mundo começa antes no coração dos homens. (Dadi Janki - Diretora Mundial da Brahma Kumaris)














“Essa requintada combinação de mente silenciosa – ilimitada e infinita – com mente dinâmica – limitada e individual – estabelece um equilíbrio perfeito entre quietude e movimento simultâneos, o equilíbrio criador de tudo o que você quiser. A combinação do movimento com a quietude capacita você a desencadear sua criatividade em todas as direções – até onde o poder de sua atenção o possa levar.”   (Deepak Chopra)



       







“Cada estrato de consciência mental humana ressoa e se sintoniza com as leis correspondentes aos planos de manifestações da sua natu­reza. Desta forma, a mente concreta é o veículo que reconhece as leis naturais da vida. De outra forma, a mente abstrata acolhe e reconhece as leis sobrenaturais que regem as sua experiências, ainda planetárias. Por sua vez, a mente simbólica superior é o veículo que transita cons­cientemente pelas leis supranaturais das realidades cósmicas, alçando os limites além da órbita terrena. O despertar de uma mente abstrata requer condições energéticas e vibratórias, capazes para acolher e sustentar a sua natureza. Para isto, a concentração, a purificação e a organização mental são pré-requisitos indispensáveis. Esta é uma mente mais flexível, altruísta, criativa e de­sapegada. Tende ao silêncio, às artes, ao fabuloso, aos sonhos, ao mis­tério e à atemporalidade. Investigativa e inclusiva. Reflete uma aura elétrica rajásica. Devido ao grande acervo de instruções que foram posicionadas, na Terra e nos últimos milênios, relacionado aos temas religiosos, espi­rituais ou transcendentais, uma mente humana investigadora pode ge­rar uma imagem distorcida das realidades cósmicas, influenciada por parte deste acervo contaminado e manipulado ignorantemente dentro do reino humano. Pureza de intenção, oração sincera e aspiração entre­gue corrigem esta possível distorção. A mente de um ser que já possua o seu corpo de luz (merkabah) des­perto é conhecida, no Budismo, como Bodhichitta, ou mente iluminada. Esta mente é altruísta por sua natureza inerente e é a base sob a qual a vida cósmica inicia a sua revelação direta à consciência de um ser huma­no terreno. Bodhichitta é a mente de contato com os seres cósmicos que pertencem aos reinos superiores ao humano, assim como também com os Mestres humanos cósmicos em serviço, na Terra. Uma mente humana terrena ilumina-se através de um evento iniciático, consciente, onde o próprio ser experimentará pela primeira vez a energia da Luz celestial. As iniciações mais elevadas para a consciência humana, na Terra, não são vivenciadas diretamente pela mente concreta do ser. São redimensionadas e refletidas nela, mas não são compreensíveis à sua natureza. Ocorrem em caráter paradoxal (paralelo à mente) para a sua natureza, não a toca e para se fazer sensível, serve-se do esta­do meditativo, ponte que alça esta consciência aos sítios das mentes superiores [...] A transcendência de elevação das consciências mentais, nível a nível, requer uma série de práticas e vivências que destinam o ser humano terreno a uma perfeição arquetípica projetada pela Fon­te para este planeta. Quanto mais um ser humano desenvolver um discernimento superior para reconhecer os sinais que o seu caminho evolutivo lhe propõe, mais Amor Sabedoria será manifestado em sua vida, rumo aos desígnios de aperfeiçoamento dos projetos da Fonte Central da vida.” (Do livro “VIA CORAÇÃO,caminhos da transformação”, págs 160 e 161, Horácio Netho, Ed. Alfabeto,2011)






A "NÃO MENTE"
(LUCIDOR FLORES)




“O homem mental não compreende as coisas espirituais, nem as pode compreender, porque lhe parecem estultícia; pois elas devem ser compreendidas espiritualmente. O homem espiritual compreende todas as coisas.”   (Paulo de Tarso)
            

                                                                                                                                                                                             













“É improdutivo buscar a compreensão do divino com uma mente inábil, desorganizada, desconcentrada e inflexível em suas crenças. A mente é a porta principal de entrada para o fortalecimento da ignorância e também para o conhecimento que suporta a sabedoria divina [...] Ao aspirar e tentar compreender a iluminação, a mente do homem comum tende a seguir uma linha racional que busca explicações e entendimentos externos palpáveis. Desta forma, surgirão muito mais questões que respostas. A manifestação da iluminação é um evento paradoxal e transcendente, manifestando-se para além do alcance da mente comum e linear, encontrando-se em uma dimensão acima. É intocável e misteriosa para a vida mundana. Encontra-se em estado latente dentro do próprio inconsciente humano, ainda não desperto. O silêncio, a devoção, a investigação humilde, o desapego mental, a purificação, a entrega e o despojamento são bases essenciais para um homem comum se aproximar e poder acessar o sentido da iluminação. Antes disso, a ignorância permanece [...] Muitos seres humanos falam sobre o ego a partir da sua própria consciência e percepção egóica. Nunca vivenciaram a sua natureza superior por meio da meditação. Desta forma, não conseguem discriminar nitidamente a sua essência, pois relatam a partir das experiências, informações e definições dos outros. Em verdade, são ignorantes que especulam sem conhecimento de causa, ficando na própria superficialidade inerente do ego, em retroalimentação da ilusão de suas mentes [...] O encontro com o divino não ocorre seguindo caminhos inflexíveis e sob crenças pré-estabelecidas. É preciso entregar-se profundamente ao silêncio interno, distanciar-se de toda e qualquer crença pessoal ou coletiva e buscar penetrar o vazio da existência. Devemos aquietar nossas mentes e deixar que a própria vida superior nos conduza, mostrando-nos o mais adequado para cada momento e ser, sem nenhuma expectativa [...] Muitos seres humanos ainda não possuem uma capacidade intelectual para assimilar os ensinamentos dos grandes mestres. São incapazes sequer de compreender os ensinamentos de um único mestre, quanto mais de reunir e sintetizar os ensinamentos gerais daqueles grandes mestres que lhes são disponíveis. Mais ainda, não conseguem transferir da mente intelectiva para o plano abstrato a verdadeira essência a que se destinam os ensinamentos espirituais. É que seus tempos ainda estão por vir [...] Ao praticar a verdadeira contemplação, o ser se desnatura e transcende todos os conceitos pré-estabelecidos pela sua mente. Desta forma, acaba se expandindo, conhecendo e encontrando a si próprio interconectado num mergulho profundo na essência do todo.”  (Do livro “VIATERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)
                                                                                                                                   








“O homem sábio não tem mente própria. 
Ele assume a mente da humanidade.”  
(Lao Tsé)  












"Quando uma mente humana adquire uma certa maturidade para concentrar-se e estar mais atenta aos eventos da vida, ela pode praticar algumas técnicas meditativas que levam a processos reflexivos sobre a dinâmica da vida holística. Em alguns casos, este tipo de mente pode proporcionar o despertar do "Corpo de Luz" para a consciência do ser humano e este reconhecer as realidades holográficas iluminadas da existência. Neste caso, a quinta dimensão passa a ser acessada e as experiências dos espaços-tempos do "agora" e do "presente" são transcendidos, através do usufruto de portais de consciência que passam a se apresentar para este ser humano. A humanidade como um todo está sendo preparada para desfrutar destas realidades da quinta dimensão, sendo que alguns elementos que caracterizam a dinâmica da vida na quinta dimensão já estão sendo incorporados na vida comum e usual das civilizações terrestres. Atividades à distância são uma das realidades mais marcantes da dinâmica que a quinta dimensão oferece e, não por acaso, é notório o crescente aumento do envolvimento da humanidade com atividades à distância. Cursos, seminários, congressos, conferências, atendimentos terapêuticos, compras e outras atividades estão cada vez mais sendo realizadas à distância. Em síntese, o símbolo maior que foi introduzido na Terra e está se manifestando como uma ferramenta fundamental para a dinâmica civilizatória de quinta dimensão é a "INTERNET", a rede mundial de computadores é um "Portal" que está acelerando os processos evolutivos e a ascensão da consciência coletiva da humanidade como nunca antes acontecera. Aos poucos, a humanidade sairá da escuridão dos últimos milênios e adotará um ritmo evolutivo superior imponderável para os tempos de hoje. Bênçãos para a vida na Terra."   (http://horacionetho.blogspot.com.br/)     














“É da natureza da mente humana comum tagarelar, desviar constantemente o foco de sua atenção e estabelecer condicionamentos. É de sua natureza, também, a tendência a assumir a liderança do ego e o controle sobre as verdades com as quais se identifica. Da mesma forma, uma mente comum tende a penetrar invasivamente e sem humildade os espaços externos e ambientais nos quais o ser se encontra, agredindo por vezes sutilmente estes lugares. É necessário um estado de consciência meditativa para que se consiga desenvolver uma maior retidão mental e um comportamento mais disciplinado, equilibrado e amoroso da mente [...] Aquele que intenciona evoluir e servir a vida deve manter a sua mente alerta à proliferação dos valores inversos às virtudes. É comum estar ludibriado com os valores do atraso sem se perceber. A atenção deve ser redobrada nestes tempos tão enganosos e cheios de armadilhas cultuadas no seio da vida humana comum da Terra [...] Uma mente humana bem desenvolvida possui inúmeros recursos de autocontrole. Equilibra-se com agilidade, adapta-se com flexibilidade, é compreensível e desapegada às crenças. Conduz coordenadamente o seu corpo físico. É como o bambu, firme quando precisa e flexível quando necessário. É porto seguro para a luz da vida superior [...] O sábio motiva os outros a reunirem todas as informações disponíveis em suas mentes e a encaminharem-nas a uma síntese. É necessário destituir o sectarismo que predomina na mente comum e buscar a unidade que interliga e desvela uma rede interdependente de todas as realidades. A ascensão da consciência só ocorre através de sínteses e expansões, nunca através da separatividade e exclusões. Apesar da existência de uma sábia força repulsiva na consciência da unidade cósmica, as contradições e os paradoxos separatistas ficam nas análises mentais daqueles que ainda não acessam as dimensões superiores [...] Escutar o coração é uma sabedoria que poucos alcançam nos dias de hoje. A maior parte da humanidade escuta a voz da sua mente, que é tendenciosa e segue condicionamentos imperceptíveis. Uma mente agitada é conflitante e excitada bloqueando a comunicação do coração, fazendo a sua verdade ficar reprimida.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhosda luz”, Horácio Netho)











"Todas as graças da mente e do coração escapam, 
quando o propósito não é firme."
 (William Shakespeare)











“Na realidade, a mente tende persistentemente a se projetar para o exterior como uma reação a tudo o que ocorre dentro de si, de forma que, percebemos como externos objetos que são internos. Assim, toda percepção interna, involuntariamente levará a mente para o externo. Isso é distração. E tudo aquilo que achamos que percebemos fora será apenas a interpretação mental do próprio mundo interno refletindo-se no externo: a imagem externa é uma ilusão interpretativa mental [...] A natureza do complexo mental é a instabilidade, principalmente de seu aspecto inferior condicionado. Nunca poderemos cessá-la permanentemente, mas apenas mudar o foco da percepção para além desse nível, pois o conceito de complexo mental inclui diversos níveis da mente. Enquanto não ultrapassamos todos os níveis da mente, nos livrando de todas as ilusões, a serenidade da mente inferior permanecerá intermitente. A cessação temporária dessas reações ocorre sempre quando se cessa a atividade associativa e discriminativa da mente condicionada. Mas para isso duas condições são imprescindíveis: um esforço em permanecer nesse estado, que somente se estabelece firmemente através da prática por longo tempo, sem interrupção e com reverente seriedade e fé, e pelo perfeito domínio consciente de todos os desejos por objetos percebidos ou revelados - desapego.”  (Do Livro “Em Busca do Eu”, págs 140, 141, 145 e 146, Autor: Cláudio Azevedo, Ed. Órion, 2007)






O PODER da MENTE HUMANA
(COMANDO ESTELAR ÓRION - JOAHDI)










“Uma grande transformação está ocorrendo e se intensificando em nosso planeta, que é chamada ‘transição da biosfera para a noosfera’, quando a humanidade será unificada novamente pela mente e recuperará poderes que perdeu ao longo do tempo em que se afastou do tempo natural, incluindo a telepatia e a capacidade de viajar no tempo.” (Vandir Casagrande – Coordenador dos Projetos Especiais do Instituto de Pesquisas Galácticas)